Nota de Repúdio pela desativação das redes sociais do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e IST

 

O Instituto Vida Nova Integração Social Educação e Cidadania, Organização Não Governamental, repudia veementemente o anúncio oficial da desativação das redes sociais do antigo Departamento de IST, AIDS e Hepatites Virais, anunciada pelo Ministério da Saúde em 22 de julho em média o Departamento de Aids recentemente renomeado como Departamento de Doenças de Condições Crônicas e IST fazia em média 2 a 3 postagens informativas por dia, e mantinha uma diagnostico situacional sobre os dados da epidemia de Aids no Brasil, assim como relação de endereços da sociedade civil organizada e parcerias nacional e internacional.

Por fim a essas informações é mais um desmonte da política pública de saúde e de Aids e desmerece o reconhecimento internacional na luta contra a aids, que poderá interferir na resposta brasileira para o cumprimento das metas 90,90,90 - 90% das pessoas vivendo com o HIV diagnosticadas e, portanto, sabendo que possuem o vírus; 90% das pessoas vivendo com HIV e diagnosticas em tratamento e 90% das pessoas que vivem com HIV diagnosticadas e em tratamento com carga viral indetectável, quando a quantidade de vírus no corpo é bem baixa.

Vemos com muita preocupação este ato que transferi para uma única página governamental com inúmeras informações distintas, tirando assim a visibilidade da resposta brasileira em IST/aids e o acesso transparente à comunicação.

Nesse sentido, cabe todas as providências para se fazer valer uma comunicação de fácil acesso e transparente.

 

 Diretoria

 

26/07/2019 

 

 

Reunião-Mopaids.jpg
1562942536_177617_1562943344_noticia_normal_recorte1.jpg
img20190704112144529MED.jpg
grafico tb.png
Sem título.jpg
atividade fisica.jpg
foto face.jpg
Sem título.jpg
reunião-mopaids.jpg
UNAIDS.jpg
araujo 200 x 300.jpg
imagem para capa face.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Programas Estadual e Municipal de DST/Aids de SP se posicionam contra as mudanças no antigo Departamento de Aids e dizem que política está enfraquecida - 18/07/2019

Em maio deste ano, por meio de um decreto presidencial, o governo federal modificou a estrutura do departamento que promove o combate à aids no Ministério da Saúde. As mudanças causaram apreensão entre as pessoas que lutam contra a aids no País e estão sendo duramente criticadas por médicos, gestores e ativistas. Nessa quarta-feira (17), a convite da coordenação do Mopaids (Movimento de Luta Contra a Aids), a coordenadora-adjunta do Programa Estadual de DST/Aids de São Paulo, Maria Clara Gianna, e a coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids, Maria Cristina Abbate, participaram da reunião ordinária explicaram o posicionamento do Estado e Município sobre o assunto. As duas disseram que são contrárias as mudanças e, assim como o movimento social, consideram que a política de aids perdeu visibilidade na esfera federal. leia + http://agenciaaids.com.br/noticia/programas-estadual-e-municipal-de-dst-aids-de-sao-paulo-se-posicionam-contra-as-mudancas-no-antigo-departamento-de-aids-e-dizem-que-politica-esta-enfraquecida/

 

 

Johnson & Johnson testará vacina experimental contra o HIV nos EUA e Europa - 13/07/2019

Após quase quatro décadas de pesquisa e de reveses, o laboratório Johnson & Johnson está terminando de preparar aquela que poderá ser a primeira vacina contra o vírus da AIDS. O plano é começar com os testes no final do ano nos Estados Unidos e Europa, com 3.800 homens. Seus cientistas procuram, em todo caso, encontrar uma vacina que funcione em todas as populações ao redor do mundo, especialmente na África.

O HIV é um vírus que se modifica com grande rapidez e que ataca o sistema imunológico humano. O passo a ser dado por sua filial Jansenn para desenvolver a vacina foi antecipado por Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Enfermidades Infecciosas dos EUA, em uma entrevista à agência Bloomberg, embora a J&J já tenha anunciado há um ano que faria testes em grande escala. Participa dessa iniciativa também a Rede de Testes de Vacinas Contra o HIV. Leia +https://brasil.elpais.com/brasil/2019/07/12/actualidad/1562942536_177617.html?id_externo_rsoc=fb_BR_CM&fbclid=IwAR3KAL5n1juNUZ_jrd8PYh87HB4QAqcPma6c9_3ijHEOXEnA02uUbw8ZUQg

 

Debatedores criticam mudanças na política de enfrentamento ao HIV/Aids

05/07/2019 

 

Reestruturação do departamento que cuida da política de enfrentamento ao HIV/Aids preocupa deputados e organizações da sociedade civil

Este ano, um decreto (9.795/19) modificou a estrutura do Ministério da Saúde, transformando o Departamento de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), HIV, Aids e Hepatites Virais em Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis.

A deputada Érika Kokay (PT-DF) afirmou, em audiência pública realizada nesta quinta-feira (4) na Comissão de Legislação Participativa, que esta não é apenas uma mudança de nome.

leia + https://odocumento.com.br/debatedores-criticam-mudancas-na-politica-de-enfrentamento-ao-hiv-aids/

 

 

São Paulo recruta voluntários para testar novo medicamento que previne infecção pelo HIV - 04/06/2019

 

A Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo vai testar um medicamento inédito capaz de prevenir a infecção pelo HIV. A iniciativa faz parte de uma pesquisa internacional, que integra dois serviços estaduais de referência em SP, entre quatro unidades brasileiras.

Para isso, o Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids inicia campanha, em junho, para promover a pesquisa de um novo método de prevenção do HIV, com injeções bimestrais de um novo medicamento, o cabotegravir. A pesquisa tem financiamento dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) dos Estados Unidos e pretende recrutar 177 homens cisgêneros gays e bissexuais, mulheres trans e travestis. Leia mais 

http://agenciaaids.com.br/noticia/sao-paulo-recruta-voluntarios-para-testar-novo-medicamento-que-previne-infeccao-pelo-hiv/

 

 

5 de junho: A Aids está completando 38 Anos

*Por Dr. Almir Santana - 04/06/2018

 

Nessa quarta-feira, dia 5 de junho de 2019, a AIDS estará completando 38 anos da descoberta dos primeiros casos da doença. A divulgação de um estudo sobre “cinco homens jovens de Nova York e Califórnia, marcou, no dia 5 de junho de 1981, o primeiro reconhecimento de que existia uma nova e rara doença”. Os primeiros casos foram diagnosticados com tipos de pneumonia e de câncer de pele denominado Sarcoma de Kaposi que, até então, só afetavam pessoas com o sistema imunológico muito debilitado.

A descoberta dos primeiros casos em homossexuais foi o principal fator que levou ao preconceito que ainda existe, provocando atitudes de discriminação até os dias de hoje.

A epidemia de AIDS continua a ser um dos grandes desafios para a saúde global. Nos 38 anos desde a sua descoberta, existem vitórias e derrotas na luta contra o HIV. Leia mais https://infonet.com.br/categoria/blogs/almirsantana/

 

Atividade física garante saúde e inclusão social de pessoas que vivem com HIV -14/05/2019

 

O Serviço de Extensão ao Atendimento de Pacientes (Seap) HIV/Aids – Casa da Aids inaugura Laboratório de Atividade Física e incorpora, de modo inovador, a prática esportiva na proposta de cuidado integral ao paciente com HIV para minimizar os efeitos das doenças associadas à aids e ao uso de medicamentos antirretrovirais, com a melhora da qualidade de vida e adesão ao tratamento. O espaço, o primeiro da rede pública de saúde do Estado de São Paulo voltado a pessoas vivendo com HIV, está em funcionamento há duas semanas. O laboratório também funciona como um centro de pesquisas, produzindo resultados que poderão contribuir à padronização do tratamento na rede pública de saúde. Leia mais

http://agenciaaids.com.br/noticia/atividade-fisica-garante-saude-e-inclusao-social-de-pessoas-que-vivem-com-hiv/  

 

 

 

 

 

 

Caem 45% casos de pessoas diagnosticadas com aids

em Cuiabá, aponta Sinan

 

O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde apontou redução de 45% casos de pessoas diagnosticadas com  Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), em Cuiabá. Em 2017, foram 179 casos – 138 homens e 41 mulheres. No mesmo período do ano passado, foram 98  – 73 homens e 25 mulheres.

Consta ainda no sistema que, no ano passado, houve registros de 18 novos casos em gestantes. No mesmo período de 2017, foram 23 infectadas. Somente em 2017, morreram 57 pessoas em decorrência da doença. Os dados de óbitos de 2018 ainda não foram divulgados. Leia mais

http://http://agenciaaids.com.br/noticia/sao-paulo-recruta-voluntarios-para-testar-novo-medicamento-que-previne-infeccao-pelo-hiv/

 

 

 

Tuberculose: somente metade das vacinas BCG para combater a doença é entregue

Prefeituras estão preocupadas e diante do cenário passam a limitar aplicações em crianças *Por Larissa Agnez

A principal maneira de evitar a tuberculose em crianças é por meio da BCG, ofertada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). 

O Ministério da Saúde deverá entregar aos municípios 48% do quantitativo previsto da vacina BCG (substância ativa obtida de cepa viva atenuada de Mycobacterium bovis), que protege contra tuberculose. Representantes de secretários municipais de Saúde receberam um comunicado da pasta nos últimos dias sobre a redução das remessas. Leia + - Redação Folha Vitória - 26 de Abril de 2019

https://www.folhavitoria.com.br/saude/noticia/04/2019/tuberculose-somente-metade-das-vacinas-bcg-para-combater-a-doenca-serao-entregues

 

 

Mopaids: Para ativistas, inclusão da TB e hanseníase no Departamento de Aids é um mais um passo para o desmonte da política - 18/04/2019

 

Ativistas do Mopaids (Movimento Paulistano de Luta contra a Aids) criticaram, nessa quarta-feira (17), em reunião ordinária, a inclusão da tuberculose e da hanseníase no rol de agravos de responsabilidade do Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais. A mudança na estrutura do Departamento foi anunciada no início de abril, em reunião com os coordenadores de IST/aids. Os militantes desaprovaram a falta de discussão do governo com a sociedade civil sobre as mudanças. “Para nós, da tuberculose, só mudamos de departamento. Mas é claro que a aids perdeu espaço e importância política. Juntar todos os agravos é desarticular movimentos”, disse o professor José Carlos Veloso, membro do Comitê Estadual de Controle Social da Tuberculose de São Paulo. Leia + 

http://agenciaaids.com.br/noticia/mopaids-para-ativistas-inclusao-da-tb-e-hanseniase-no-departamento-de-aids-e-um-mais-um-passo-para-o-desmonte-da-politica-de-aids/

 

 

 

 

Coletivo planeja estratégias para promover

direitos de jovens vivendo com HIV - 15/04/2019

 

Nos dias 9 e 10 de abril, os membros do colegiado da RNAJVHA se reuniram em Brasília, na Casa da ONU, para desenvolver seu novo planejamento estratégico para o período 2019-2020. Esse encontro aconteceu com o apoio do UNAIDS e da Unesco como parte de uma articulação da Rede de Jovens.

O objetivo da RNAJVHA com esse encontro foi desenvolver novos mecanismos para ampliar o diálogo e a inserção do trabalho de promoção de saúde integral a adolescentes e jovens vivendo com HIV e AIDS. Este trabalho busca também fortalecer as bases de representação da rede pelos estados e municípios brasileiros.

“Essa foi uma oportunidade importante para fortalecer o trabalho da rede, que já existe há mais de uma década”, disse Yura Espindola, Secretaria Executiva da RNAJVHA. “Esperamos levar estas propostas de reestruturação estratégica para todos os membros e, em breve, colocar tudo isso em prática.” Leia mais

https://nacoesunidas.org/coletivo-planeja-estrategias-para-promover-direitos-de-jovens-vivendo-com-hiv/

 

Os 100 dias do governo Bolsonaro são marcados pelo desmonte da política de aids - 11/04/2019

 

A análise de 100 dias de um governo é simbólica, mas prefiro acreditar que os governos devem ser analisados todos os dias. Neste artigo, proponho uma reflexão profunda sobre os 100 dias de Bolsonaro à frente do Brasil na ótica da epidemia de aids e suas coinfecções, como a tuberculose e as hepatites virais.

A postura catastrófica e preconceituosa do presidente contra as pessoas vivendo com HIV/aids começou muito antes das eleições. Em 2010, em entrevista ao extinto programa CQC, da Band, Bolsonaro disse, em tom de julgamento, que a aids é problema de cada um. Na época, ainda deputado, sua fala não teve o peso que deveria ter tido. Eleito presidente, Bolsonaro mostrou que não era somente uma frase, mas que seu governo viria para destruir o pouco que resta do que já foi considerando um “programa de referência para o mundo”. Leia mais 

http://agenciaaids.com.br/artigo/os-100-dias-do-governo-bolsonaro-sao-marcados-pelo-desmonte-da-politica-de-aids/